A anemia infecciosa felina (ou Hemobartolenose) é uma doença infecciosa de felinos de ocorrência mundial que, tal como indicado pelo nome, causa anemia.

É provocada por vários microorganismos que podem actuar sozinhos ou em conjunto, mas é mais comum a infecção por Mycoplasma haemofelis, antes conhecido por Haemobartonella felis, dando o nome à doença. Esta é uma bactéria que se aloja na periferia das hemácias, provocando a sua destruição através do rompimento da sua membrana celular ou através de reacção auto-imune do organismo, que procura destruir as suas células sanguíneas infectadas. Ambas as vias levam a uma diminuição do número total de glóbulos vermelhos, logo, a anemia.

A infecção com este microorganismo dá-se principalmente através da picada de artópodes: as pulgas e as carraças. No entanto, os filhotes de mães infectadas podem nascer com a doença ou infectar-se no período neonatal. Também ocorre infecção com contacto sanguíneo entre animais, através de brigas ou transfusões sanguíneas.

Os sintomas e curso da doença são variáveis. Pode tanto ser aguda como crónica ou ocorrer infecção sem sintomas. Geralmente, além de anémicos, apresentam-se sem apetite, deprimidos e febris. Gatos com doença crónica apresentam também perda de peso progressiva. Outros sinais são icterícia e perda de sangue na urina ou pelo nariz. Mas atenção que estes sintomas não são indicativos de apenas esta doença.

O diagnóstico é feito recorrendo a técnicas laboratoriais, sendo necessária a colheita de sangue para testagem. O tratamento baseia-se em terapia com antibióticos,  associando-se por vezes fármacos imunosupressores, assim como tranfusão sanguínea, quando a anemia é severa. Os gatos com sistema imune competente podem adaptar-se e responder bem à infecção sem tratamento mas animais co-infectados com FIV/FeLV estarão com o sistema imunitário muito comprometido e poderão não ter melhorias mesmo com o tratamento adequado. Tanto os animais tratados como os não tratados que recuperam da doença tornam-se portadores e podem infectar novos animais!

O mais indicado é mesmo a previnir! No caso de ver o seu gato com algum sinal de doença, como diminuição de actividade ou falta de apetite, ele poderá estar a precisar de cuidados médicos. Lembre-se também de desparasitar o seu animal mensalmente com desparasitante externo. Deve também evitar que o seu gato se envolva em brigas com outros animais. Recomenda-se também a testagem do sangue do seu animal para a presença deste Mycoplasma, assim como para FIV e FeLV sempre que:

  • adoptar um novo gatinho para a sua casa,
  • quando estes fogem e voltam ‘maltratados’ ou
  • quando planeia ter uma ninhada da sua gata e esta tenha contactado previamente com gatos de rua.
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta