A Cardiologia veterinária é a técnica veterinária que se debruça sobre o estudo do coração. O exame cardíaco reveste-se de elevada importância, já que o coração é um dos órgãos fundamentais para qualquer ser vivo.

Ao contrário do que se pensa, não é apenas o animal idoso que deve ser submetido a exame cardíaco. Recomenda-se, independentemente da idade do animal, um exame anual, que deve ser realizado quando este se desloca à clínica para a vacinação.

A forma de evitar os efeitos nefastos de uma doença cardíaca é rastreá-la quanto antes e agir antes de ocorrer uma descompensação.

 

                  A importância do coração

 

O coração está dividido em dois compartimentos, que em condições normais se encontram perfeitamente separados. Existe a metade direita, que recebe o sangue de todas as partes do corpo, bombeando-o para os pulmões, onde será oxigenado. A metade esquerda, por sua vez, recebe o sangue oxigenado que vem dos pulmões e vai distribui-lo por todo o corpo, através da rede de vasos sanguíneos.

Todas estas acções são coordenadas, funcionando a tempos certos, como uma orquestra, quando algo falha vamos ter manifestações clínicas.

 

 

O que deve alertar o proprietário

 

Os sintomas podem ser muito variáveis, dependendo da patologia cardíaca em curso. Esta pode ser primária, isto é, as alterações encontram-se localizadas no músculo cardíaco; ou pode ser secundária, tendo origem noutros pontos do organismo e repercussão sobre o coração.

O proprietário pode referir que o animal se cansa com facilidade ou mesmo que anda mais apático. A tosse e a dificuldade respiratória são também sintomas comuns.

 

 

 

O rastreio

 

O exame mais simples para avaliar a função cardíaca é a auscultação e verificação do pulso, assim é possível detectar a presença de sopro cardíaco, arritmias ou défices de pulso.

Caso se detecte alguma alteração, o animal deverá ser submetido a um exame electrocardiográfico e a um exame radiográfico. O electrocardiograma permite perceber se existe deficiência na contracção do miocárdio e na passagem dos impulsos eléctricos. Se existir alteração na morfologia do coração será evidenciado nas radiografias.

Em algumas patologias de diagnóstico inconclusivo recomenda-se a ecocardiografia. Este exame consiste numa ecografia às câmaras cardíacas, é possível observar em tempo real a funcionalidade do músculo cardíaco.

 

 

As doenças cardíacas mais comuns

 

A doença valvular crónica é a patologia cardíaca mais comum em cães de raças pequenas e idade avançada. Caracteriza-se por uma deficiência no fecho das válvulas cardíacas, ocorrendo retrocesso do sangue dentro das câmaras cardíacas.

Os cães de raças gigantes e geriátricos podem sofrer de cardiomiopatia dilatada. Nestes casos o que acontece é a diminuição da espessura e eficácia do músculo cardíaco, o que vai provocar sintomatologia de insuficiência cardíaca; estes pacientes apresentam um coração globoso.

A doença cardíaca mais comum em gatos caracteriza-se por um aumento da espessura do músculo cardíaco, dificultando a contracção cardíaca. Esta patologia denomina-se cardiomiopatia hipertrófica.

 

Conclusão

 

A chave da questão é a prevenção e o rastreio periódico. Qualquer que seja a idade do seu animal, este deve ser submetido a um exame detalhado, incluindo o exame cardíaco, uma vez por ano, no mínimo.

Se o seu animal é um paciente cardíaco diagnosticado deverá ser reavaliado regularmente.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta