CUIDADOS A TER COM A ALIMENTAÇÃO DO SEU CÃO

 

Quando iniciar a alimentação do seu cachorro:

A partir dos 21 dias de idade você pode oferecer ao seu cachorro o alimento sólido, como complemento ao leite materno. Pode deixá-lo sempre disponível e após o desmame, que deverá ocorrer por volta dos 45 dias de idade, é importante que os cachorros já estejam a comer alimentos específicos para a idade correspondente. Neste período ocorre uma diminuição na produção do leite materno, sendo este insuficiente, na maioria dos casos, para alimentar toda a ninhada.

Cachorros a partir de 45 dias de idade (pós-desmame):

Oferecer ração para cachorros é a melhor opção. Existem muitos tipos (secas, semi-húmidas ou húmidas), sabores (carne, frango, carneiro, fígado, etc.) e marcas no mercado. Na primeira consulta, irá ser recomendado o tipo de ração que deverá fornecer ao seu cachorro.

A quantidade de ração a ser oferecida varia com a raça e o peso do animal. Os fabricantes de ração, na própria embalagem do produto, fazem a recomendação da quantidade ideal.

Mesmo que o seu cachorro rejeite a ração inicialmente, vá insistindo. Não tente oferecer outro tipo de alimento como carne e arroz, isso só vai fazer com que ele não queira a ração de todo.. Misture ração húmida, junto com a ração seca para torná-la mais atrativa, ou pode tentar humedecer a ração com água morna para torná-la mais macia.

A hora das refeições é um momento muito importante. As refeições devem ter horários certos, dependendo da idade e tipo de cão. Não deixe o alimento sempre à disposição. Uma refeição não deve demorar mais de 15 minutos, se ele não comer guarde a comida e dê-lha na refeição seguinte. Tentar criar hábitos e rotinas.

Se o cachorro tiver feito o desmame antes do tempo (menos de 1 mês de idade) devemos alimentá-lo com leite de substituição apropriado.

 

Não esquecer de deixar sempre água à disposição.

 

Cães a partir de 1 ano de idade:

Oferecer ração para cães adultos: seca, húmida ou semi-húmida, 2 vezes ao dia. Pode misturar ração seca com ração húmida, seguindo a proporção indicada pelo fabricante.

 

Consumo diário de alimento para cães:

A quantidade de alimento pode variar de acordo com a raça, idade e o nível de atividade do animal. Verifique se o produto que seu cão está a consumir é apropriado para a fase de vida que ele se encontra, e em caso de dúvida procure a orientação de um Médico Veterinário.
Siga as quantidades descritas na embalagem, sempre dividindo a porção diária em 4 ou mais refeições nos casos dos cachorros  e no mínimo em 2 porções para os cães adultos(como referido anteriormente).

É importante deixar sempre á disposição água limpa e fresca.

 

 

 

Suplementos vitamínicos e minerais para cães:

A suplementação vitamínica ou mineral não é recomendável, os alimentos especificos para animais são completos e equilibrados, atendendo as necessidades nutricionais diárias. Todos os nutrientes como as vitaminas e os minerais são adquiridos pela alimentação quando oferecida uma ração de boa qualidade.
Nos casos especiais que requerem uma suplementação nutricional específica (devido a doença, problemas de pele, entre outras), procure a orientação do Médico Veterinário, pois uma suplementação realizada de forma incorreta pode causar problemas graves ao seu animal.

Transição de dieta de crescimento (cachorros) para dietas de manutenção (adulto):

Os cães de pequeno e médio porte devem receber alimentos específicos para cachorro até completarem 1 ano de idade, passando para fase adulta após esse período.
Os animais de grande porte e gigantes possuem um crescimento mais lento e gradual, devendo receber alimentos para cachorro, específicos para raças grandes, até aos 15 a 18 meses de idade. A transição para adulto nestes animais ocorre mais tarde sendo imprescindível respeitar essa velocidade de crescimento.
A ração para a fase de crescimento possui, na sua formulação, nutrientes essenciais para um desenvolvimento pleno e saudável do cachorro.

Mudanças de ração:

Para uma correta transição, recomendamos a introdução gradual de uma nova ração. Este procedimento garante uma adaptação do animal ao novo alimento, evitando possíveis problemas intestinais indesejáveis. A tabela abaixo auxilia a troca do alimento durante um período de 7 dias.

 

 1º Dia2º Dia3º Dia4º Dia5º Dia6º Dia7º Dia
Nova alimentação25%25%50%50%75%75%100%
Alimento Anterior75%75%50%50%25%25%

 

Alimentação para fêmeas na fase de gestação e amamentação:

Na fase final de gestação, correspondente as 3 semanas que antecedem o nascimento dos cachorros, e na fase de amamentação que termina 45 dias depois do parto, a fêmea necessita de uma alimentação especial.
O fornecimento de uma quantidade maior de energia (gordura) e de proteínas é de extrema importância. Nestes casos são indicados os alimentos para cachorros, que contêm níveis mais elevados de proteínas e energia.
Dependendo do tamanho da ninhada a fêmea pode necessitar de, até 3 vezes a energia de manutenção diária, na fase final do período de amamentação. Este facto demonstra a extrema necessidade de uma correta alimentação nesta fase.
Os suplementos de cálcio ou vitamínicos/minerais durante a gestação e o período de amamentação não são necessários se a cadela estiver a comer um alimento equilibrado e de boa qualidade. Embora as necessidades nesta fase sejam mais elevadas, a cadela adquire todos os nutrientes essenciais através da ração.

 

Cão sénior/geriátrico:

À medida que envelhecem, os cães tornam-se menos activos, havendo também uma redução da taxa metabólica e resultando numa menor necessidade de calorias para manter o peso corporal e a condições ideais.

Os cães de raças grandes envelhecem mais rapidamente que os cães de raça pequena. Na ausência de problemas particulares de saúde, é possível agir sobre os efeitos do envelhecimento graças a uma boa alimentação. Para ser eficaz, a modificação da dieta deve ser feita a partir dos 5 anos nos cães de raças grandes, 7 anos nos cães de raças médias e 8 anos em cães de raças pequenas.
Um alimento adaptado a esta etapa da vida do seu animal deve ser:

  • Enriquecido em vitaminas E e C, por forma a proteger o organismo contra os efeitos nocivos do “stress oxidativo”, ligado ao envelhecimento;
  • Preparado com proteínas de elevada qualidade e restrição em fósforo;
  • Rico em oligoelementos (ferro, cobre, zinco, manganésio), de modo a promover uma boa qualidade da pele e pelagem;
  • Enriquecido com ácidos gordos insaturados (óleo de soja ou de borragem) para a manutenção de uma boa qualidade da pelagem;
  • Possuir um teor ligeiramente aumentado em fibras, por forma a fornecer um pouco mais de “volume” ao alimento. Esse aumento do nível de fibras permite lutar contra o risco de obstipação que acompanha a diminuição da actividade física do cão maturo;
  • Facilitar a mastigação: com a idade, aumenta a frequência de problemas dentários entre os cães. Para que eles possam continuar a comer normalmente, é preciso que a alimentação seja macia, adaptada ao tamanho do cão e dos seus dentes e maxilares.

 

Dicas:

  • Os cachorros comem 3 a 4 vezes ao dia quando pequenos;
  • Os cachorros passam a comer menos à medida que vão crescendo; assim, reduza o número de refeições gradualmente. O adulto (a partir de 1 ano) come 2 vezes ao dia;
  • A ração para adultos deve ser dada a partir de 1 ano de idade. O excesso de alimentação causará obesidade e inúmeros problemas de saúde ao seu animal;
  • Restos de comida, doces, massas e tudo o que não for prescrito pelo veterinário deve ser evitado, mesmo que o cão goste ou queira comer. O cão que “pede” comida da mesa dos donos deve ser repreendido ou retirado do local das refeições familiares;
  • Mudanças alimentares devem ser feitas gradualmente ou o animal poderá apresentar diarreia;
  • Cães de raças grandes devem ser alimentados 2 vezes ao dia quando adultos. Isto evita que ele coma grandes quantidades de alimento de uma vez e venha a ter uma torção do estômago.
  • A melhor forma de verificar se a quantidade de comida que está a oferecer ao seu animal é a correcta, é avaliando a condição corporal do seu animal. Isto é, deve observar se ele está com a cintura bem definida e com as costelas facilmente palpáveis. A pesagem mensal também auxilia na avaliação. Manter o peso ideal para a raça e uma boa condição corporal proporciona saúde e melhora a qualidade de vida do seu animal, diminuindo também o risco de aparecimento de doenças relacionadas com o excesso de peso.
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta