Diabetes Mellitus

A diabetes mellitus consiste numa alteração crónica do metabolismo de carbohidratos, devido a uma deficiência absoluta ou relativa de insulina.

Os mecanismos patogénicos responsáveis pela diminuição de insulina disponível são variados, mas geralmente estão relacionados com a destruição de células pancreáticas como consequência de pancreatite severa ou degeneração seletiva das células. A resistência à insulina e diabetes mellitus secundária também se observam em animais com hiperadrenocorticismo e a administração crónica de glucocorticoides ou progestagénio também pode originar uma predisposição para a doença. Outro fator que também predispõe para a resistência à insulina é a obesidade e com a elevada percentagem de animais obesos em Portugal, este é um fator muito importante a ter em conta.

Os sinais clínicos associados a diabetes são polidipsia, poliúria, aumento de ingestão de alimento e perda de peso. Numa fase posterior podem também observar-se cataratas bilaterais e debilidade. Outra consequência de diabetes é o facto de os animais terem uma resistência diminuída a infeções bacterianas ou micóticas e podem desenvolver infeções crónicas ou recorrentes, como cistite, prostatite, broncopneumonia e dermatite.

O êxito do tratamento a longo prazo depende do facto de o dono entender a patologia e coopere com a terapêutica. A doença ligeira raramente se reconhece, mas pode ser controlada com uma combinação de redução de peso e uma dieta rica em carbohidratos completos e fibra. Se estas medidas não forem suficientes para controlar a doença, deve ser administrada insulina, ajustando a dose até que se consiga encontrar um equilíbrio, vigiando as concentrações sanguíneas de glucose frequentemente. Uma vez estabelecida a terapia de manutenção e o animal se encontre em condições estáveis, deve-se avaliar 2 ou 3 vezes por ano.

Posto isto, é assaz importante uma alimentação cuidada e exercício físico regular para controlar o peso do seu animal de estimação e caso observe os sinais anteriormente referidos, dirija-se ao seu médico veterinário.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta