A dirofilariose é uma doença parasitária causada pelo parasita Dirofilaria immitis que é transmitido aos cães através da picada de mosquitos.

A transmissão desta doença ocorre predominantemente durante os meses quentes e húmidos. Os cães que vivem no quintal apresentam um risco 4 a 5 vezes maior de contraírem dirofilariose.

 

Ciclo de vida do parasita

                Os cães infectados ficam inquietos, perdem peso e cansam-se muito quando fazem exercício. O animal apresenta os seguintes sintomas:

 

tosse crónica com saída de sangue vivo e, na última fase da doença têm bastantes dificuldades respiratórias e podem desenvolver edema (líquido nos tecidos) ou ascite (liquido no abdómen).

Para além desta sintomatologia progressiva, a dirofilariose pode expressar-se de uma forma aguda em que o animal se apresenta ictérico (mucosas de cor amarelada), não se alimenta e há colapso cardíaco devido à localização dos vermes adultos no ventrículo direito do coração e na veia cava posterior. Nestes casos a morte pode ocorrer em dois a três dias.

 

Prognóstico

Infelizmente, o prognóstico para o tratamento dos animais infectados é bastante reservado, ele consiste na remoção cirúrgica das larvas adultas e/ou na medicação que provoca a morte dos parasitas, provocando na maior parte das vezes reacções adversas (anafiláticas) ao paciente.

 

Diagnóstico

Esta doença pode ser diagnosticada de duas formas, através de um teste sorológico (kit de imunodiagnóstico) ou realizando um esfregaço sanguíneo onde se pode detectar a presença de microfilárias no sangue periférico, sendo a primeira forma de diagnóstico mais fiável que a segunda.

Desta forma a nossa grande arma contra esta doença é a prevenção.

Actualmente existem no mercado dois produtos bastante eficazes: a ivermectina e a selamectina, estes produtos actuam matando as larvas de dirofilária (microfilárias) que são transmitidas ao animal através da picada do mosquito.

Antes de utilizar a ivermectina devemos em primeiro lugar assegurarmo-nos que o cão não está infectado pois caso esteja podem ocorrer reacções anafiláticas devido à morte das microfilárias. Este comprimido é administrado por via oral, a intervalos mensais de uma forma regular.

A selamectina também permite a prevenção da dirofilariose e pode ser administrado de forma segura a animais infectados com dirofilárias adulta, este produto deve ser administrado mensalmente através de uma bisnaga que se coloca na pele do animal.

 

Em Portugal, e em especial na região da Estremadura, devido às condições climatéricas e geográficas da região sabemos que é uma zona de risco para os animais que nela habitam. Devemos por isso estar alerta para a ocorrência desta doença, tendo sempre presente o ditado: “prevenir é melhor que remediar”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta