Doenças infecto-contagiosas em gatos

Existem inumeras doenças infecto-contagiosas em gatos, encontrando-se entre elas a leucemia felina (FeLV), imunodeficiência felina (FIV) e a peritonite infecciosa felina (PIF). As três doenças são provocadas por vírus e apresentam distribuição mundial.

O vírus da FeLV é excretado através da saliva, secreções nasais, fezes e leite. A transmissão ocorre principalmente por “grooming” entre gatos, mas também através de mordeduras. Nas fêmeas infectadas, a gravidez, geralmente, resulta em morte embrionária, gatinhos mortos no parto ou gatinhos bébés que morrem alguns dias após o nascimento. Em fêmeas portadoras do virus, mas que não manifestam a doença, geralmente, a transmissão não ocorre durante a gravidez, mas sim durante o aleitamento. A FeLV pode causar vários sinais clinicos, sendo as principais consequências da doença: imunossupressão, anemia e linfoma. Existe forma de saber se o seu gato está doente ou se é portador deste vírus, bastando para isso recolher um pouco se sangue, ou para um teste rápido ou para envio para o laboratório. Embora não exista tratamento para o vírus, existe terapia de suporte, para os sinais clinicos que o seu gatinho apresentar, conjuntamente com estimulantes da resposta imunitária. Existe, actualmente, vacinação disponível para esta doença, recomendada para gatos que se encontrem expostos ao vírus (ou seja, gatos que tenham acesso ao quintal, contacto com outros gatos não vacinados). Antes de iniciar a vacina, é necessário fazer sempre o teste de despiste, e se negativo, inicia-se então a vacinação.

O vírus da imunodeficiência felina (FIV) é um vírus semelhante ao HIV (vírus causadar da SIDA, nos humanos). O vírus é também excretado pela saliva e outras secreções, sendo as principais vias de contacto mordeduras/lutas e contacto sexual. Este vírus, por si só, provoca imunossupressão, e desta forma, os sinais clinicos estão relacionados com infecções secundárias, que levam a: gengivites, rinites crónicas, perda de peso, insuficiência renal, entre outros. Da mesma forma que para o vírus da FeLV, também para este vírus se pode fazer um teste rapido, para saber se o animal é portador ou não.  No entanto, para esta doença, ainda não existe vacina disponível. Os gatos FIV positivos podem ter uma vida tão longa como os outros gatos. No entanto são necessárias visitas regulares ao veterinário. Assim como no caso da FeLV, não há tratamento, existindo apenas terapia de suporte, para a sintomatologia que o animal apresente e estimulantes da resposta imunitária.

Ambos os vírus da leucemia felina e imunodeficência felina, quando se encontram fora do hospedeiro podem ser eliminados utilizando os desinfectantes comuns.

A peritonite infecciosa felina (PIF) é a principal causa infecciosa de morte nos gatos. O vírus causa vasculite, ou seja, inflamação dos vasos sanguíneos, e desta forma, os sinais clinicos apresentados vão variar consoante os vasos sanguíneos afectados e consequentemente, consoante os orgãos atingidos. Este virus é excretado maioritariamente pelas fezes, podendo também existir excreção pela saliva. Assim sendo, a maior fonte de infecção são as fezes de gatos infectados. No meio ambiente, o virus pode durar de horas a dias. No entanto, nas caixas de areia de gatos domesticos, pode durar até 7 semanas, em fezes secas. Existem duas apresentações da doença: PIF húmido (é a forma mais grave da doença, em que há acumulação de fluidos na cavidade abdominal e/ou torárica, causando aumento do diametro abdominal e/ou dificuldade respiratória) e PIF seco (forma mais crónica da doença, em que o animal se apresenta com sintomas vagos, tais como falta de apetite, perda de peso, pelagem com pouco brilho e mesmo alterações a nivel oftalmológico). O diagnóstico da doença é feito pelo quadro clinico e pela recolha de sangue para envio para o laboratório. Não existe cura para a doença, no entanto, pode-se ir fazendo terapia de suporte, conforme os sintomas que vão surgindo, utlizando terapias imunossupressoras e estimulantes da resposta imunitária.

Sempre que o seu gatinho apresente alguma da sintomatologia referida, consulte o seu médico veterinário. Diagnósticos precoces ajudam a melhorar a qualidade de vida no animal.

 

 

Para qualquer outro tipo de esclarecimento ou dúvida, não hesite em contactar-nos através dos nossos contactos disponibilizados!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta