Os nossos animais com o passar dos anos tornam-se sensíveis a um maior número de doenças, doenças essas, crónicas, apresentando diferentes aspectos clínicos que iremos classificar de seguida:

 

Doenças do aparelho digestivo

A Odontoestomatologia (doença dos dentes e da boca) tem uma enorme importância nos pacientes crónicos idosos. Uma doença dental pode ser o indício de algum problema sistémico e não propriamente atribuído à idade.

Muitas doenças destas originam sarro, cálculos, abcessos, úlceras e por vezes perda de peças dentais.

Num animal geriátrico a correcção destes problemas bocais e dentais, pode ajudar a evitar uma má nutrição senil.

Por outro lado, uma alimentação mais mole do que dura facilita a produção de placas dentais, sendo então aconselhável fazer uma boa higiene oral e dental, esfregando os dentes no mínimo duas vezes por semana e uma limpeza de dentes uma vez por ano.

 

Doenças Renais e Urinárias

A insuficiência renal crónica de animais idosos origina-se por vários factores, sendo necessário modificar a dieta com uma diminuição drástica de proteínas, sal e fósforo. São frequentes os casos de incontinência urinária, problema este com múltiplas causas (castração; infecções urinárias, diabetes).

 

Doenças Oculares

As doenças oculares em geriátricos estão relacionados com cataratas, glaucomas, querato-conjutivites, etc. A diminuição das lágrimas origina queratites e úlceras, existindo uma maior facilidade de desprendimentos hemáticos da córnea com o avançar da idade.

 

Doenças Dermatológicas

Surgem algumas alterações da pele a nível celular, o que determina uma pele mais dura e menos elástica. A alteração senil da pele, carenciada de alguns oligoelementos e a imunodeficiência senil geram uma maior incidência em infecções e neoplasias ou em quistos sebáceos e doenças auto imunes.

Existindo uma alteração sebácea o pêlo encontra-se mais seco, caindo com maior facilidade. Existe assim a necessidade de contrariar estes factores com amaciadores específicos e anti seborreicos.

As otites também aparecem com maior frequência nos animais idosos, têm tendência a serem crónicas devido a múltiplas resistências bacterianas com complicações devido a fungos e ácaros.

 

Doenças Endócrinas, Genitais e Nutricionais

Os idosos têm uma maior tendência para a obesidade devido a um aumento da percentagem da gordura corporal, agravado também com a falta de exercício e alterações alimentares.

A partir dos 13 anos também existe uma atrofia dos testículos e ovários, diminuindo a secreção hormonal, existindo também maior incidência de tumores mamários e / ou prostaticos.

 

Doenças Cardiovasculares e Respiratórias

Surge um quadro de insuficiência cardíaca crónica, devido a uma degeneração senil das válvulas do coração. Deve-se ter em conta que a maioria dos cães com mais de 8 anos necessitam de um tratamento cardíaco.

Também se diagnostica com uma maior incidência uma doença pulmonar crónica obstrutiva provocando uma insuficiência respiratória.

 

Doenças Nervosas

Alguns proprietários referem uma modificação no comportamento do seu animal de estimação assim como perda de hábitos anteriormente adquiridos. Estas alterações são devido a problemas do âmbito cerebral.

 

Doenças Músculo-esqueléticas

A idade diminui a massa óssea e muscular, existe uma alteração articular originando uma diminuição da função músculo-esquelética.

 

Por tudo o que foi exposto anteriormente é necessário estabelecer programas de saúde e de prevenção geriátrica. Aconselha-se revisões médicas periódicas que podem diagnosticar e prevenir estes sintomas.

Um Check – up geriátrico ao seu animal aos 7 anos de idade pode prevenir muitas destas doenças por serem diagnosticadas com a devida antecedência.

O melhor tratamento é a prevenção.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta