HIGIENE DO SEU CÃO

 

Limpeza do pêlo

A escovagem do pêlo é importante não apenas por uma questão estética, mas também para a saúde do seu cão. Ao escovar o seu cão, está a promover uma troca mais acelerada dos pêlos (remoção dos pêlos mortos), a aumentar a circulação local e a proporcionar o arejamento da pele próxima à raiz dos pêlos. Tudo isto irá contribuir para uma pele e um pêlo mais saudável, além de possibilitar a detecção de parasitas externos (pulgas, carraças, etc) ou lesões que lhe poderiam passar inadvertidas.

Um cachorro só deverá tomar banho uma semana após as primeiras vacinas. Quando der banho aos seus cães evite deitar-lhes água sobre a cabeça, usando uma esponja embebida na água do banho para lhes limpar a cabeça, evitando assim a entrada de água para os ouvidos, pois poder-lhe-á ocasionar otites parasitárias ou micóticas. Pode aproveitar o banho para esvaziar as glândulas perianais.

Evitar dar banho a cachorros com menos de 4 meses, evitar que o champô entre nos olhos do animal. Nunca utilize champô de uso humano, uma vez que o PH da pele do cão é diferente do nosso.

 

Limpeza dos ouvidos

Os ouvidos são um órgão a que devemos prestar especial atenção, sobretudo se o cão tem orelhas grandes, caídas e peludas. É natural encontrarem-se pêlos no interior do pavilhão auditivo os quais provocam uma oxigenação deficiente e uma acumulação de sujidade que acabará por inflamar o ouvido ou até degenerar uma otite. Para evitar esta situação devemos extrair todos os pêlos que se encontrem no interior do ouvido.

 

Ao efectuar a limpeza dos ouvidos do seu cão, periodicamente, está a prevenir o aparecimento de futuras otites. Se apesar das limpezas ele desenvolver uma otite, como está habituado a ser manipulado o tratamento vai ser mais fácil de realizar.

Existem várias soluções auriculares de limpeza, que incluem componentes ceruminolíticos (facilitam a remoção da cera das paredes do conduto auditivo). Após a introdução de produto dentro do conduto auditivo, deve realizar uma massagem suave na base da orelha. Enquanto massaja têm que ouvir um “chapinhar” que indica que colocou líquido suficiente. Depois de massajar durante cerca de 30 segundos, remova o excedente com compressas de gaze ou papel. Em função de cada cão, este processo pode ser praticado com mais ou menos frequência.

Também existem disponíveis à venda toalhetes para limpar o pavilhão auricular externo. Limpe os ouvidos do seu cão pelo menos cada quinze dias.

 

 

 

Limpeza dos olhos

Os olhos estão continuamente expostos à acção de poeiras, fumos, e outras agressões externas. Como tal, a sua limpeza periódica é de extrema importância para o bem estar do seu cão. A limpeza dos olhos deve ser feita delicadamente, usando toalhetes específicos para o efeito, ou compressas humedecidas em soluções fisiológicas oculares. Evite o uso de algodão, porque pode deixar fibras, que são irritantes. Limpe o contorno dos olhos e os cantos, de forma a remover todas as secreções.

Limpe os olhos do seu cão sempre que achar necessário, se os olhos do seu cão se apresentarem vermelhos e/ou com corrimento de aspecto purulento (semelhante a pus), contacte o seu Médico Veterinário.

Caso note junto aos olhos a acumulação de algumas remelas, também pode ajudá-lo com a utilização de compressas embebidas ou não, em soro fisiológico. Mas se for muito frequente o aparecimento de remelas, deve ver com o veterinário a origem, para eliminar eventuais problemas.

 

Higiene oral

Uma higiene dentária deficiente pode causar sérios problemas de saúde, incluindo a dolorosa perda de dentes e doenças nas gengivas (gengivite). A acumulação da placa bacteriana e de tártaro na boca pode causar a doença periodontal, infecção essa que, através da corrente sanguínea, se propaga aos órgãos vitais, como o coração, o fígado e os rins. As doenças dentárias são problemas de saúde muito comuns nos animais de companhia, afectando cerca de 70% dos cães.

Para prevenir a formação de tártaro, que é o principal responsável pelo mau hálito, escove periodicamente os dentes do seu cão e ofereça uma ração seca de qualidade. Não se esqueça que o tártaro depois de formado só pode ser removido através de uma destartarização, que é um procedimento cirurgico que envolve anestesia.

 

A doença periodontal pode ocorrer em cães de ambos os sexos e em todas as idades. Porém, aumenta o seu maior risco com a crescente idade do animal, devido à maior acumulação de placa bacteriana e tártaro.

Em relação às raças caninas com maior risco, podemos indicar as raças pequenas, provavelmente devido à sua cavidade oral ser pequena o que provoca uma grande proximidade dos dentes (difícil remoção da placa).

Muitas vezes a dor e a sensibilidade na cavidade oral faz com que o seu animal pare de comer, mesmo tendo fome. Conclui-se que aqueles dentes “amarelados” e o “mau hálito” dos nossos animais não são tão inocentes assim. Na verdade, a doença periodontal é um “mal silencioso”, porque o animal só vai manifestar sintoma quando estiver em estado avançado. Por isso, mantenha sempre em casa os cuidados necessários com a higiene oral do seu animal (com produtos adequados a eles), visitando regularmente o  veterinário para diagnosticar possíveis problemas de saúde oral, e realizar intervenções quando necessário (como limpeza do tártaro).

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixar uma resposta