LINFOMA FELINO – Causas e Tratamento

 

O que é o Linfoma Felino

Os tumores são um problema comum em Medicina Veterinária, sendo atualmente a principal causa de morte em 32% dos felinos domésticos.

A prevalência desta patologia está a aumentar devido a vários fatores, mas é, em grande parte, um resultado do aumento da esperança média de vida dos animais de companhia.

O linfoma é uma neoplasia maligna, que corresponde a aproximadamente um terço de todos os tumores nesta espécie.

 

 

O que o causa e em que idades é mais comum

A causa desta neoplasia é pouco conhecida, pensando-se que possa estar na sua origem a infecção por FIV, FeLV ou ambos; a exposição a fumo de tabaco; um estado imunitário alterado e estados de inflamação prolongadas no tempo.

 

A idade média dos gatos afetados por linfoma é de 9-12 anos, apesar de existirem casos de animais entre 1 e 16 anos de idade.

No linfoma felino, não se tem detetado maior predisposição relacionada com género ou raça, apesar de alguns estudos referirem maior predisposição em machos e siameses.

Os sinais clínicos são variáveis, e dependem da extensão da doença e da sua localização anatómica.

 

Que tipos de Linfoma Felino existem

Existem quatro tipos de linfoma, que apresentam os seguintes sinais clínicos:

  • Forma mediastínica: respiração de boca aberta, tosse, perda de apetite e perda de peso;
  • Forma alimentar: anorexia, letargia, vómito, diarreia, fezes com sangue;
  • Forma multicêntrica: aumento dos linfonodos, perda de apetite, perda de peso, depressão;
  • Forma extranodal: sinais clínicos dependem da localização.

 

A forma mediastínica ocorre mais em gatos novos e infetados com FeLV, enquanto a forma alimentar está associada a gatos mais velhos e não infetados com o FeLV.

Atualmente, a forma alimentar é considerada a mais comum nesta espécie.

 

Como se diagnostica o Linfoma Felino

O diagnóstico deve ser feito com base numa completa história clínica, associada a exames complementares.

Os animais suspeitos também devem ser testados para FeLV/FIV. O diagnóstico definitivo deve ser obtido com radiografia/ecografia e posterior citologia/biópsia da massa e biópsia medular.

Devido às diferentes apresentações e localizações anatómicas, observadas em felinos com linfoma, o tratamento não é consensual, sendo a quimioterapia o mais utilizado, muitas vezes em associação com radioterapia e/ou cirurgia.

Estas características também tornam difícil a emissão de prognóstico.

Porém, os fatores associados a prognósticos positivos são: a presença de linfoma de baixo grau, uma resposta completa ao tratamento e a inexistência de infeção pelo FeLV.

 

Qual o tratamento para Linfoma Felino e taxas de sucesso

O tratamento para Linfoma Felino éessencialmente composto por Quimioterapia.

Geralmente, a percentagem de gatos com linfoma com resposta completa à quimioterapia é de 50 a 80%, sendo o tempo médio de sobrevivência de 6 meses.

Em geral, gatos não infetados com FeLV, que atingem resposta completa com protocolos quimioterápicos, possuem alta probabilidade de sobrevivência a longo termo, aproximadamente 35% sobrevive até 1,5 anos após diagnóstico.

 

Se tiver mais dúvidas

Esclareça sempre as suas dúvidas com o seu Médico Veterinário.

Para qualquer outro tipo de dúvida ou informação, não hesite em contactar-nos através dos contactos disponibilizados!

9 respostas
    • Amelia says:

      Patrícia, meu gato tem o mesmo quadro clínico que o seu, além da mesma idade. Quando teve uma crise início do ano, eu pedi para eutanasiar e os veterinários não deixaram, pois teria ainda como viver mais algum tempo. Estamos em tratamento desde então e ele está estabilizando. Talvez o quadro do seu gato é diferente do meu. O veterinário pode indicar o tempo para interromper o sofrimento do seu animal e da família, mas só você saberá se essa hora chegou. Não podemos prolongar o sofrimento do bichinho, mas não precisamos eutanasiar de imediato.

      Responder
    • roseli de oliveira says:

      Nossa Patricia estou chocada com a sua veterinaria. tenho uma gata de 10 anos, tem linfoma e minha vet esta na luta comigo a mais de 1 ano e meio. A panterinha esta bem.
      Reveja uma segunda opiniao por favor, caso nao seja tarde demais. Da noticias por favor.

      Responder
      • Rosane says:

        Olá, Roseli! Eu sou a Rosane de Porto Alegre. Estou passando por essa situação já há 4 meses. Minha gata tem 9 anos. Sua dificuldade é a respiração. Agora estamos aguardando o resultado do exame para saber o tipo de linfoma. Gostaria de saber que tratamento tem feito para sua gata? Obrigada!

        Responder
  1. Adelina says:

    Eu tenho um gato de 12 anos com linfoma intestinal não é FIV nem FELV positivo Em Junho deste ano começou com um protocolo que consistia em injectáveis de vincristina e doxorrubicina comprimido Lepocortinolo e clorambucil 2 vezes por semana e melhorou bastante o linfoma entrou em regressão Estava óptimo comia bem tudo bom as análises feitas de 15 em 15 dias estavam bem até que há 15 dias para cá deixou de comer e cegou caminha a cambalear faz xixi onde está Enfim uma situação muito complicada Terá sido AVC? ou será o linnfoma na cabeça? Fez um tratamento que ultrapassa a barreira do cerebero de “Citarabina” o outro tratamento não ultrapassa a barreira do cerebro e agora estou a aguardar Aconteceu a algum dos vossos miaus?

    Responder
  2. Eu sei says:

    Meu gato esta positivo pa FIV e Felv estava andando normal da semana passada p ca o animal nao esta andando direiro anda com dificuldades das patas traseiras.
    Tirei radiografia nao acusou nada de tumor. O veterinario disse que deve ser linfoma de medula q nao acusa na radiografia, mas q teria q ir a um neurologista. O mesmo veterinario vai fazer um tratamento intravenoso para aumentar a imunidade. Meu gatinho nao esta comendo so se eu colocar na boca assim ele aceita.Algum tem algum gato com esse tipo de problema na medula.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta